segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Atração Interplanetária






    Em meio a tanta natureza eu encontrei...
    Pessoas com rotinas e anseios de vida dessemelhantes.
    Que muito tinham de diferentes... E ainda mais de belo!

    A atração, porém, foi inevitável.
    E de repente, e facilmente, me adeqüei aquele lugar.
    Fui acolhida... E logo já estava em casa.

    E foi no meio deste universo diverso que o encontrei.
    O menino de Urano.
    Vindo lá de perto da morada das estrelas, tão distante quanto elas podem ser...
    Ao mesmo tempo em que parece ser tão próximas, quando paramos para apreciá-las...a distância real porém sempre será assustadora.

    O encontro foi como uma nuvem no céu... eu sei da sua existência, mas é impossivel sentí-la, se desfaz quando tento uma aproximação, e quando chego perto o suficiente, é como se já não existisse nada....
    Mas o encanto não se desfez, ainda continuo a olhar para o céu, na intenção de te sentir mais próximo.
    O Ar não é seguro para pouso... Tudo que passa por ele está apenas de passagem...
    Mas eu sou da Terra, e por onde passo, acabo por fincar raízes... e me deixo plantar sentimentos com muita facilidade..
    Como a terra, sou quente e intensa, e não sei ser alheia as pessoas que passam pela minha vida...
    Gosto de senti-las de verdade, amá-las de verdade, não sei ser pela metade.. e nem só amar nas horas vagas..
    Quando o imagino a me observar lá em seu planeta, sinto que pela sua vida não passei de uma estrela cadente, o que para os outros parece uma magia da natureza, mas que para o observador de Urano, foi apenas mais um evento resultante de um atrito de alta velocidade de uma rocha espacial com o Ar, que gerou rastros de luz, bonito de ser apreciado, porém momentâneo...
    A sua passagem pela minha vida, porém foi como uma aurora boreal, uma experiência regida pelas forças da natureza, e que é preciso dar tempo ao tempo para vê-la...A probabilidade de apreciá-la nem sempre é garantida, porém a intensidade compensa... despertando, sensações, encantamento e inquietações diversas..
    E em minha paciente procura pelas Constelações, tentando desvendá-las procuro também o menino de Urano, não encontro sinais da sua presença, porém sei que está lá... Afinal foi ele que me ensinou os mistérios do Universo quando veio dar um passeio aqui pela Terra...


    by.:Lilian Ventura

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Sem Pés nem Cabeças



 Inquietações diárias a respeito de detalhes que me cercam... ou dos pés que me cercam...




(PARTE-1)


Olhos cansados
Pés exaustos
Olhos exaustos
Pés cansados

Pés que falam
Pés que significam
O Nada e o Tudo
O Tudo e o Nada

Julgamentos incompletos
A saciar e desvendar o desconexo
Quando o calçar já não satisfaz
Basta Botar!






 (PARTE-2)



Pés ensaiados
Pés descompassados
Pés sem cabeça
Pés sem donos

Descalços, desamarrados, desapegados.
Agem por conta própria.
Pés inquietos, nervosos, revolucionários.

Muito tem a dizer sobre seus respectivos donos.
Pouco podem falar sobre seus respectivos donos.





                                              
(PARTE-3)


Todos na praia estão descalços.
Nos bares caros, em seus caros sapatos.
Forjando uma elegância que tanto incomoda
Loucos para chegar em seus lares, e loucos soltos e descalços ficarem.

Livres de dogmas e preconceitos... dentro de casa a vaidade dos passos inexiste.

Todos são iguais.
Pés livres a descansar.
O “Peso de Ser”
O grande carregador das “cousas” do mundo
Só quer ficar de pernas pro ar.
Prontos para mais um dia levantar, e ensaiar.




(PARTE-4)



Olhe aqueles bebês, andando a explorar o desconhecido mundo.
O medo do desconhecido ainda não lhe contêm
Porem após algumas quedas, este começa a se fazer presente.
Este medo, no entanto, ainda não o consome de forma completa, a ponto de impedir de se levantarem e ensaiarem os primeiros passos da sua vida
Por hora já não vejo, mas bebês, eles cresceram deixando já se levar a outras novas descobertas.
Pés adolescentes a trilhar caminhos convidativos, viagens, rock in roll, bares, pessoas, amores, ilusões, e outras bagagens formadoras de personalidade.
Até que...
Olhe aquela jovem!
Já não usa mais havaianas, alls stars ou sandálias de couro.
Caminhos desconhecidos já não lhe agradam mais.
Quer ACOMODAR seus pés.
Seus pés hoje preferem os sapatos, finos, caros que não podem ser gastos em caminhadas em vão.
E sentar-se tardes avulsas em frente à TV, agora é o melhor remédio, um exercício de constante passividade e descanso.
Afinal não irá gastar seus sapatos em vão!
O tempo já passou, e já tem seus próprios filhos adolescentes, e ainda os questiona...

Porque prefere as havaianas?


by:. Lilian Ventura

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

O Homem Desconhecido



Primeira postagem, cheguei meninas, em plena madrugada regada a cafeína!!





O Homem Desconhecido



Ela estava perdida em devaneios.
Encontrava-se perdida, sem caminho de volta ou saída de emergência.
Apenas labirintos, que a levavam a um lugar qualquer.

E em um instante, sua feição mudou, seus olhões brilharam, ao avistá-lo lá longe, onde a pouca luz já se fazia falha, onde era percebida apenas uma silhueta...

Buscou ir ao seu encontro... Ansiosa...

Ele continuava parado, e a cada passo, ela sentia seu coração acelerar, em um ritmo cada vez mais agônico....sentindo-o quase a soltar boca a fora.

Mantêm-se porém, aparentemente serena...

Quando por fim encontra-o, um ato impulsivo lhe toma conta, e desliza levemente sua mão pela barba dele, e os pelos daquela barba lhe arranham o coração, percebendo um leve calafrio tomar conta de si.

Ele dá um passo para trás, assustado.

Ela afasta sua mão, assustada.

Ele lhe toca a nuca, a toma nos braços e a faz mergulhar em um beijo, aquele beijo que ela já conhecia.
O beijo do homem desconhecido.

Ele se afasta logo em seguida.

Ela continua com os olhos fechados imersa naquele beijo.
Ele vira as costas, e continua seu caminho no labirinto...
Ela lá continua estática, sem acreditar que ele aparecera de novo, e ela novamente nada sabia sobre este homem...

Ou o porquê, dele sempre a possuir desta forma, e logo em seguida continuar seu caminho, sem ao menos olhar para trás.

Ela fecha bem os olhos, e consegue ainda sentir o gosto doce-amargo daquele beijo.

Quando por fim se deu conta, já estava seguindo adiante no labirinto, procurando uma saída...

Ao mesmo tempo que ansiando pelo seu amante desconhecido, o qual, não lhe dava tempo de...

Saber se ele realmente existia, ou se não passava de um fantasma, que ela criou para não mais se sentir só no...

Labirinto.

Lilian Ventura

¨Ain't afraid to die¨



Eu não sei namorar
Sem me doar
Dilatar a memória
Me entregar à ternura

Encadernar os dias
Escrever bobagens
Andar de mãos dadas
Sofrer com sutileza 
Na ausência do olhar

Só sei namorar na delicadeza
Em corar o rosto e me render
De tornar doce o cotidiano
Apaixonar-se na apreensão

Ouvir uns sons estranhos
Ver desenhos traçados
Nos bordados da loucura

E ambos ter idéias surreais
Ir percebendo a velhice
Nas dúvidas sóbrias
De algum passado
Meio amargo

E nesses modos
Não comemos a nostalgia
Mas convencidos de
Comer a mistura

Saudade
Sem fim
Sobriedade
Sem memória

Não sei namorar
Sem amar
Da última interrogação
A primeira dança
  
Só sei namorar
Sem arrogância
Sem palavras mortas
Com intimidade
Só de conversar



sábado, 3 de novembro de 2012

Nesse itinerário da leveza pelo ar












Sempre ouço esse ditado: “Caminhe pela sombra!”. Certo, moro num país tropical que está no buraco da camada de ozônio, faz sentido. Mas no caminho da vida que trilho prefiro ir na luz, ir no brilho, ir no devir...aprendi a navegar com o balanço do mar, Salve, Odòìyá!

                Os dias estão lindos nessa primavera, as flores que foram fecundadas estão com seus botões a balançar no sol, as águas do Paraguaçu brilham, as águas do mar estão mais calmas...a vida em movimento. O vento nos sopra o ar da novidade. “A novidade que veio dar à praia, na qualidade rara de sereia...”

                Novas aventuras por novos caminhos. O caminho é o amor...

"Afia o fio da faca
E faz um feixe de estaca
E finca pé na barraca
A chuva passa passou

E vem a noite estiada
E vem a lua molhada
E a sanfona danada
E nós vivendo de amor..."


               
" Caminhante, não há estradas, apenas trilhas de vento sobre o mar. A trilha faz-se caminhando..."


Ótimas cores para suas vidas.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

É chegada a hora...


Dedico esse texto a minha querida Clara Matos. Ela que iluminou minha vida e é uma das minhas fontes inesgotáveis de amor...
 
Vai. Repito, vai. Esquece um pouco, só um pouco, pode ser? ...

Hum, sei. É, é difícil, eu sei. Mas uma hora chega, ok? Uma hora é preciso dizer chega. Chega de drama, de medo, de historinha e de chorumela...

Uma hora é preciso ter a coragem de assumir certas dores e resolve-las. Acabar logo com isso. Coloca numa caixa (de maneira organizada, não vale socar tudo) e vai...Ei, peraí! Para tudo. Ou seguindo o raciocínio Mitsu 3.5: esquerda, esquerda, esquerda...Voooolta tudo.

Cadê a paciência? Cadê a calma?Cadê o tempo que cura tudo? Ok, em primeiro lugar a pessoa que disse que o tempo cura tudo cometeu um sério equivoco em propagar essa teoria pelo universo. O tempo não cura porra nenhuma! “O tempo apenas tira o incurável do centro das atenções...”

Quem cura nossas dores somos nós e não o tempo.  E para aqueles que esperam suas dores passarem para se permitirem viver uma nova historia de amor podem ir parando de se sabotarem. Algumas dores ficam com a gente e não podemos nos livrar dela. E isso é sério. Mas calma, antes que os angustiados se desesperem eles poderiam respirar fundo e pensar que não há nada melhor que um novo amor para se esquecer das velhas feridas e conseguir mais uma ou duas mágoas novinhas em folha para dar conta (me perdoem o toque de realidade).

Com o tempo poderíamos perceber que aquelas dores que insistem em não irem embora são nossos limites, até onde estamos dispostos a ir pelo outro.  Como saber se aquela dor vai passar ou vai virar um limite? Não sei, afinal cada um tem o seu processo e sua maneira de reagir e agir, uma hora se descobre, paciência. O que não dá é ficar parado. Parar e esperar que o tempo venha resolver os seus problemas, e problema é que nem Matheus, quem pariu o seu que balance. Nesse caso, que resolva o seu. O seu problema. Não fuja do assunto...melhor, do problema.

Seria válido se lembrar que o amor renasce quando assim queremos. Em todo encontro de corpos há uma possibilidade. Uma possibilidade de qualquer coisa. Não importa qual. Cada indivíduo vem despertar algo na gente, deixa aflorar certas demandas. Basta ter a sensibilidade de sentir as centelhas. Sexo é encontro de corpos e em qualquer encontro de corpos existe uma partícula, um átomo de amor. Nós é que escolhemos cultivá-lo ou não...Será que é tão consciente assim? Aos que responderam “não, o amor não se escolhe ele acontece...” seria prudente repensar isso. Amor se escolhe sim. Nós que escolhemos nos permitir ou não...

Então, vai... Não tem placa, não tem mapa, não tem GPS, não tem manual de instrução, não tem direção... ah, você ainda não entendeu e está preocupado em saber qual caminho seguir. “Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento”. Vai, sai da concha siga a direita, vai mais pra frente, esquerda, esquerda, esquerda e vooolta tudo, e agora? É logo ali,ó, um pouco antes do além dos aléns...

domingo, 9 de setembro de 2012

Amor X Ódio



Amor…

palavras professadas
carinho, comunhão…
Nossos corpos entrelaçavam-se
numa melodia em comum
extasiados estávamos…

Palavras meigas, compreensão
minhas filosofias, seu deleite,
minha arte, sua admiração,
invencíveis éramos...

cada conquista comemorada
incentivos mútuos trocados,
planos arquitetados
eu e você, arroz com feijão…

O contato faiscava…
calor, cheiro, beijo, 
gosto que fascinava, 
cada pedaço da alma amado…

Um amor prestante e incansável
de madrugada varada…
enluarada janela...
acobertados estávamos...

minhas intempéries… sua paciência
suas grosserias...meu desalento
distancias...desentendimentos
minha dor...seu desapego...

Agora, só ressentimento...
acabou, surpresa se fez
alegria se esvaiu pelo ralo
só vazio inunda a alma…

Abandono…
barco à deriva..
à procura de um porto seguro...
apenas indagações...
ecoando neste rio turvo da mente
porquê? porquê?

A frieza é como um muro
se interpôs entre nós
me tornei uma estranha
te tornastes inalcançável...
a dor do peito dilacera
a superação vem a passos lentos

A ferida está aberta…
sangra, no coração multilado…
como estancar? 
me pergunto a cada dia...

Vestido estás
com a carapuça do esquecimento
e este manto do egoísmo
deixou um rastro podre de lama:

descrença,
desesperança,
desamor

Ódio…



terça-feira, 28 de agosto de 2012

Censura à Arte nas Redes Sociais

Détail de "Ema (Akt auf einer Treppe)," 1966 de Gerhard Richter.

Muito Interessante a crítica de David Kratz, presidente da New York Academy of Art, no ARTINFO, sobre a censura às artes na rede social de maior sucesso atualmente. 

Confiram:


domingo, 26 de agosto de 2012

5 A Seco




5 rapazes
5 talentos
5 vozes

A seco...

mil violões
mil dedos
mil melodias



Super recomendo.!!



Pra Você Dar o Nome

Deixa pra lá
Que de nada adianta esse papo de agora não dá
Que eu te quero é agora e não posso e nem vou te esperar
Que esse lance de um tempo nunca funcionou pra nós dois
Sempre que der
Mande um sinal de vida de onde estiver dessa vez
Qualquer coisa que faça eu pensar que você está bem
Ou deitada nos braços de um outro qualquer que é melhor
Do que sofrer
De saudade de mim como eu to de você, pode crer
Que essa dor eu não quero pra ninguém no mundo
Imagina só pra você
Quero é te ver
Dando volta no mundo indo atrás de você, sabe o quê
E rezando pra um dia você se encontrar e perceber
Que o que falta em você sou eu


Pra baixar o Cd e conhecer mais:

http://www.5aseco.com.br/

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Previsões, profecias, e....os virginianos (Parte I)



Começa amanhã, precisamente...dia 23 a temporada dos virginianos...
Então nada mais justo que comemorar com um pequeno textinho, saudando os bons virginianos que me cercam, começando por mim mesma, hehehe, minha querida mãezinha, minha companheira de casa Nananane, amigos (Liu, Ray,  Bill, etc)  inclusive aqueles que já fizeram parte da minha vida e não fazem mais... 
Ah! Quase ia me esquecendo, os aspirantes a virginianos também, kkk, tem uma certa pessoa que descobriu recentemente que tinha ascendente em virgem, ela sabe que estou falando dela...mas, ficou um tanto abalada...
Me desculpem os outros membros zodiacais...rsrsr...mas é a nossa vez de falar..

Bem, comecei a procurar na net besteiras sobre o signo pra falar no texto, mas foi grande o meu desapontamento, pois encontrei muitas imagens estereotipadas sobre nós, (perfeccionistas, analítico, crítico, enfim um chato de galocha, etc) poucos se aprofundaram na verdadeira essência do virginiano. Me desculpem os 'projetos de astrólogos', mas, encontrei muita bobagem sem sentido (exercendo o meu lado crítico, kkkkk). 

Vou colocar alguns exemplos que pra mim foram a gota dágua:

-Não gostam de nada que envolva riscos; por isso sempre se mantém como eternos contadores, secretários, em cargos medíocres; (esse foi do site somostodosum);

-gostamos de arrumar sempre as coisas e etiquetá-las, e assim fazemos com nosso sentimentos, (kkkkk); (vá ver meu quarto!)- do mesmo site anterior.

- O virginiano é frio, leva muito tempo pra esquentar, paixão não faz parte do seu vocabulário! (tenho pra mim que essa tal de Gabriela Marraccini, teve desilusão amorosa com algum virginiano).

-O beijo do virginiano (essa bate o recorde!), vou ter que CTRL C + CTRL V= "Mas é que ele acha que a quantidade de germes presentes na saliva é um absurdo, como são absurdos quaisquer beijos que passem muito além da "bitoquinha"". Hahahahahaah, essa passou dos limites. (Essa foi da tocadoelfo).



Gente, cá pra nós... temos a nossa parcela de criticismo às vezes aguçada, mas quando nos dedicamos a algo ou à alguém, queremos sempre dar o nosso melhor, isso por sermos muito críticos com relação à nós mesmos. Mas também somos muito prestativos e generosos com as pessoas importantes pra nós, gostamos de agradar, nossos amores, amigos. Só que às vezes, só o que precisamos é sermos reconhecidos, precisamos 'ouvir' pra ficarmos satisfeitos.

Temos senso de humor aguçado, adoramos nos divertir, e o que faz o nativo de virgem mais interessante, é justamente isso, quando saímos do nosso 'padrão' surpreendemos as pessoas. É como se tivesse uma eterna 'fera' aqui dentro, prestes a se revelar....kkkkk. Somos sensuais, adoramos sim, beijoooos apaixonados, somos amantes incríveis (ou pelo menos em potencial), porque adoramos dar e receber prazer, e fazemos isso com verdadeira maestria, com a mesma dedicação que temos ao realizar um trabalho.

Essa coisa de organização... não são apenas nas coisas simples, como arrumar um quarto uma gaveta... Não é isso...Simplesmente, o que gostamos de organizar é nossa vida! Se tivermos uma prioridade, o quarto vai ficar uma bagunça por uma semana ou mais....e quando pudermos vamos lá e arrumamos. Ai sim, quando arrumamos nos dá prazer porque, parece que estamos colocando nossa cabeça no lugar...ai o nosso prazer, em separar, organizar...tudo em seu lugar...enquanto isso vamos pensando...repensando...sobre nós mesmos, sobre nossa vida, e outras coisas!!! Isso não é lindo????KKKKKK

Particularmente adorei as descrições dos sites: Zastros, Delas, e Porto do ceu, pra quem quiser ver colocarei os links abaixo. Mas não porque falaram bem, não é isso, mas senti que as descrições foram mais fundo, e não ficaram na superficialidade e estereotipia do signo. Outra astróloga que adorei, mas que não tem relação com signo, foram as previsões de Isabel Mueller, para 2012, mas isso fica pro próximo post Ok?

Só pra finalizar colocarei um versinho de Cora Coralina, do poema "A gleba me transfigura" em homenagem ao nosso elemento Terra:

Minha identificação com a gleba e com sua gente.
Mulher da roça eu o sou. Mulher operária, doceira,
abelha no seu artesenato, boa cozinheira, boa lavadeira.
A gleba me transfigura, sou semente, sou pedra.
Pela minha voz cantam todos os pássaros do mundo.
Sou a cigarra cantadeira de um longo estio que se chama vida.
Sou a formiga incansável, diligente, compondo seus abastos.
Em mim a planta renasce e floresce, sementeia e sobrevive.
Sou a espiga e o grão fecundo que retornam à terra.
Minha pena é a enxada do plantador, é o arado que vai sulcando
Para a colheita das gerações.
Eu sou o velho paiol e a velha tulha roceira.
Eu sou a terra milenária, eu venho de milênios.
Eu sou a mulher mais antiga do mundo, plantada e fecundada
no ventre escuro da terra.


Bye Bye, até a proxima.

Virginianos e interessados e conheçam um pouco mais:
http://portodoceu.terra.com.br/signos/virgem.asp
http://www.zastros.com.br/VerMateria.aspx?mat=2117&cat=4




segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Musicando

http://www.oesquema.com.br/ - Por Arnaldo branco

Quem já deu uma olhada no www.amusicoteca.com.br? Maior tendência Hipster. Falei a última frase de brincadeira, mas o site é interessantíssimo, e já indico pra galera baixar o álbum do Passo Torto, banda que tem algo vanguardista, espero que gostem. (Vanguarda é outra palavra da moda).

E logo no próximo post, estaremos Pernambucando musicalmente. Preparem o maracatu atômico de vocês. Inspiração por está em Irecê, terra mais próxima de Pernambuco do que Salvador ;)

Há braços,
y cumbia!

terça-feira, 7 de agosto de 2012


Amor ou desamor? Vou ou não vou? Fico ou saio? Oito ou oitenta? Envio ou apago? Acelero ou freio? Aí, os extremos me cansam por isso prefiro ficar na manha da meia embreagem. Mas o difícil mesmo é descobrir onde fica aquele meio termo certo, certo? Aquele lugar estável onde os perigos de relacionar-se parecem ser distantes, falo daqueles anseios que nos fazem ter medo de viver um amor, seja ele estável ou instável, novo ou velho, livre ou preso, leve ou pesado, vivo ou morto...

Em matéria de amor lhes desafio: que atire a primeira pedra quem nunca chorou a dor de viver uma desilusão, quem nunca pensou um dia ter encontrado o grande amor, quem nunca fez juras e promessas impossíveis de serem cumpridas apenas por que, naquele momento, o amor foi tanto que não cabia dentro da realidade...

 Aí o amor...Dói!É amigas, amar não é pra qualquer um hoje em dia. Acima de tudo é preciso coragem, muita coragem, sempre com a fé de quando ele chegar será no mínimo, por favor, inspirador. E acreditem quando o amor chega nunca pede permissão para entrar em nossas vidas e nos deliciar com seus encantos...

Se o tempo parece ruim cabe a nos nós lembrarmos que logo acima da tempestade existe um céu azul que brilha com o sol e a chuva nos serve para lavar a alma, e aí meu amigo vale de tudo, inclusive dançar na chuva! Afinal, eu me lembro que "um dia a tristeza foi tanta que aprendi a dançar..."

Quem vive com o pé no freio desconhece as alegrias de viver as paixões passageiras, aqueles encontros marcados pelo acaso da vida que nos ensina mais uma vez o desfrutar de um novo amor mesmo que transitório. Aqueles casos amorosos que sabemos que não passa de um êxtase passageiro, algo como uma xícara branca cheia de café cintilante...

Mas cuidado quem vive acelerando sem parar para descansar o coração e deixar a alma respirar pode acabar com uma profusão de sentimentos. E nada pior que descontarmos em um novo amor os débitos do amor passado. Mas uma coisa é certa, quem nunca dividiu a conta e pagou o que não consumiu? Os débitos de amores passados fazem parte da relação e não há como pendurar essa conta.

Coragem, meninas. É só disso que se precisa... mentira. É preciso ir além, muito além da coragem. E então, vamos para o além dos aléns? "Eu quero a sorte de um amor tranqüilo com sabor de fruta mordida", pois "mistério sempre há de pintar por aí..."

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Here it comes: Mitsubishi Produções!



video


Galere, esse post é só pra dar umas risadinhas, pois isso tá engraçado demais... hahahahaha! Semana passada, ajudei minha prima pré-adolescente e mais três indivíduos da mesma espécie a fazer o trabalho de inglês: um videoclipe!
Sem recursos, ordem nem paciência, fizemos essa tosqueira aí. Já ri muito, mas eu sou suspeita, né?!

Descafeína

Tirinha do Gomez, visite: talentosamaodireita.blogspot.com/

Depois daquele momento

Tentar manter meu temperamento como leve café com creme, é um fracasso pra mim. Por que lembra café descafeinado, bebida sem álcool ou cigarro sem nicotina. Remoção da identidade ideológica do vício, nem preciso me perguntar se quero viver nesse tipo de mundo, com vícios falsos e personalidade fictícia. Ser temperamental, ou seja, tempero mais mente, é algo que trabalho para ficar com a parte que gosto. Acreditem ás vezes bebo café sem cafeína. Mas se isso acontecer demais, me vício em Mate.


Para Ouvir: Sonic Youth - Sunday

sábado, 14 de julho de 2012

Dias de café

Foto tirada em Serra Talhada. Homenagem a minhas amigas.

Primeiro um aviso sobre o texto, o mesmo não terá nada de relevante, nem caricias silenciosas de afagar os corações, ou colocar borboletas na barriga, na verdade vou mudar o título desse texto a partir daqui, para: Dialogo Sacal.
Tentei escrever uma apresentação despudorada e marxista como eu geralmente sou, mas não seria completamente sincera, e argumentos sobre meus pensamentos do mês não teriam tanto êxito, no máximo conseguiria cansar os leitores, pelo simples fato, de ser o tipo de pessoa mais comum no mundo. Eu sou chata, e acredito que essa característica é como qualquer outro aspecto de personalidade.
Não diferente de muitas pessoas por ai, tenho traços de chatice bem marcados, que combinam com minha rotina, ser chata, chato, é algo com exatidão, precisa ser cultivado desde pequeno, é quando está no jardim de infância e não empresta o lápis de colorir aos amiguinhos, no ensino fundamental não dá cola aos coleguinhas de turma, ou ensino médio que não pedem a borracha emprestada, pelo simples fato de ninguém saber o que vai responder.
E incluímos alguns requintes de crueldade para quem quer progredir no ramo, ler ou assistir coisas que ninguém queira perder tempo fazendo, contar com a boa vontade de alguém que tenha o mínimo de bom senso para te ouvir, e decore comigo as seguintes frases: “Como assim você não leu isso (fale o nome de um autor de Mitologia Nórdica)”, “Não assistiu (Diretor da década de 50), mas ele é um clássico”, ou ainda, “Marcel Proust é uma leitura obrigatória”, critique livros de auto-ajuda, romances populares, Sidney Sheldon ou Paulo Coelho, oriente seu desafeto literário. Mesmo que não tenha lido dois livros inteiros deles. Aprender essas frases e modos, é meio caminho andado para o nível chato de galocha ou de cinismo auditivo, e esse último, tem o caráter de não ouvir os outros em momento algum. Com esses passos simples, nós chatos conseguimos estragar qualquer filme, de comédia, terror, ação ou romance, esse último na verdade funciona na vida literal de qualquer chato, como? Assistir, ler, ouvir, algo completamente desconhecido e dedicar à pessoa amada, que também não tem ideia do que seja isso.
Quem leu até aqui e entendeu o texto como uma crítica a essa perspectiva chata de mundo, é na verdade tirando alguns exageros do texto, acredito que cada um tem sim, um traço de chatice, cada qual tenta esconder em determinados momentos, mas ele sempre aparece, afinal, nós seres humanos por vezes acordamos virados, irritados, ou já sabemos de algo, ou simplesmente não queremos ouvir sobre determinado assunto, ou ainda gostamos de algo incomum que não é de interesse geral.
Ninguém é engraçado o tempo todo. E mesmo que alguns sejam chatos uns mais que outros, o importante é, o chato não está sozinho em sua chatice.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Dia Mundial do Rock!!




Algumas curiosidades sobre a história do Rock:

A expressão Rock and Roll - literalmente significa "balançar e rolar", fazia parte da gíria dos negros americanos desde as primeiras décadas do século XX, para referir-se ao ato sexual. Assim, ela já aparecia em várias letras de blues e rhythm’n’blues como "Good Rockin’ Tonight" (1947), de Roy Brown - antes de ser adotada como nome do novo estilo musical, que surgiu nos anos 50, com Bill Halley e Elvis Presley, e consistia basicamente na fusão desses ritmos negros com a branquela música country. Esse batismo costuma ser atribuído ao disc-jóquei americano Alan Freed (1922-1965), cujo programa de rádio foi um dos principais responsáveis pela popularização da nova onda, altamente dançante, que logo contagiou toda a juventude do país e do mundo.




Porque 13 de julho? - Mas porque 13 de julho? Foi no dia 13 de julho de 1985 que um cara chamado Bob Geldof, vocalista da banda Boomtown Rats, organizou aquele que foi sem dúvida o maior show de rock da Terra, o Live Aid - uma perfeita combinação de artistas lendários da história da pop music e do rock mundial. Além de contar com nomes de peso da música internacional, o Live Aid tinha um teor mais elevado, que era a tentativa nobre de conseguir fundos para que a miséria e a fome na África pudessem ser pelo menos minimizadas. Paul McCartney, The Who, Elton John, Boomtown Rats, Adam Ant, Ultravox, Elvis Costello, Black Sabbath, Run DMC, Sting, Brian Adams, U2, Dire Straits, David Bowie, The Pretenders, The Who, Santana, Madona, Eric Clapton, Led Zeppelin, Duran Duran, Bob Dylan, Lionel Ritchie, Rolling Stones, Queen, The Cars, The Four Tops, Beach Boys, entre outros, alcançando uma audiência pela TV de cerca de 2 bilhões de telespectadores em todo o planeta, em cerca de 140 países.





O disco mais vendido de todos os tempos -  Empate  técnico entre o The Wall (1979), do Pink Floyd, e Led Zeppelin IV (1971), do Led Zeppelin, ambos na casa das 40 milhões de cópias. É impossível obter uma resposta mais precisa, porque não existe uma instituição que levante os números de venda de discos em todo o globo. O Guinness, o "livro dos recordes", aponta como álbum mais vendido de todos os tempos Thriller (1982), de Michael Jackson, com vendagem hoje calculada em 47 milhões de cópias. Mas ninguém classificaria esse disco na categoria rock.



Como surgiram os nomes de algumas bandas:

Tanta gente perguntava a origem do nome para John Lennon que cada vez ele inventava uma história diferente. A mais aceita é que o primeiro nome, The Beetles ("Os Besouros"), foi inspirado na banda The Crickets ("Os Grilos"). O "a" veio depois, por idéia de Lennon, que gostou do trocadilho com beat (ritmo, batida).





Guns n'Roses
Axl Rose teve uma banda chamada Hollywood Rose até 1985, quando formou outra com o guitarrista Tracii Guns, do L.A. Guns. O nome escolhido para o novo time foi uma mistura dos dois anteriores. Tracii só serviu para batizar a banda, pois logo deixou o grupo para dar lugar ao cabeludo Slash.

AC/DC
Angus e Malcolm Young se inspiraram na máquina de costura da irmã deles, que tinha a inscrição AC/DC(corrente alternada/corrente contínua, que indica que o aparelho funciona tanto na tomada quanto com bateria). Eles não sabiam que a sigla também é uma gíria para bissexuais.

Rolling Stones
Rollin’ Stone era o nome de um blues de Muddy Waters, ídolo do guitarrista Brian Jones, que decidiu botar o nome da música (cuja letra dizia que "pedra que rola não cria musgo") na banda. O "g" veio anos depois, dada a insistência de um empresário em prol do inglês correto.

Led Zeppelin
Keith Moon, baterista do The Who, disse a Jimmy Page que a banda dele iria voar como um balão de chumbo. Daí o nome "zepelim de chumbo", lead zeppelin. Depois Page tirou o "a" para que os fãs do grupo não pronunciassem "lid" - som que lead tem quando significa liderança.

Foo Fighters
Na 2ª Guerra, os pilotos americanos freqüentemente viam bolas de fogo e objetos não identificados enquanto sobrevoavam a Europa. Eles chamaram aquelas coisas de foo fighters: foo era o jeito americano de dizer as palavras francesas feu ("fogo") ou fou ("louco").

Ramones
Pura inspiração nos Beatles. Paul McCartney usava o nome Paul Ramon para evitar a imprensa quando dava entrada em hotéis. O baixista Douglas Colvin gostou da idéia, mudou seu nome para Dee Dee Ramone e convenceu os colegas a fazer o mesmo.

Limp Bizkit
Há duas teorias não confirmadas, cada uma com um significado da palavra limp. Na primeira, ela significa "mole", e o biscoito mole seria o cérebro do vocalista Fred Durst sob efeito da maconha. Mas a palavra também significa "manco", como um cachorro de Durst que se chamava Biscuit – a outra possível inspiração.

Sex Pistols
O nome da banda punk inglesa foi idéia do seu empresário. Malcolm McLaren se inspirou na sua butique de roupas, a Sex, e pensou que ficaria legal estender a marca para o nome da banda, acrescentando a palavra "pistola" para dar uma conotação ainda mais fálica àquele sexo punk.

Legião Urbana
Depois do fim da banda Aborto Elétrico, Renato Russo começou a tocar com o baterista Marcelo Bonfá. Antes de Dado Villa-Lobos aparecer, a idéia dos dois era revezar guitarristas e tecladistas para completar a banda. Uma legião de músicos, no caso.

Os Replicantes
No filme Blade Runner (1982), replicantes eram os andróides criados como réplicas dos humanos que acabavam se revoltando contra seus criadores. História perfeita para a banda punk gaúcha, numa época em que o filme com Harrison Ford era a coisa mais modernosa do mundo.

Paralamas do Sucesso
A banda de Herbert Vianna poderia se chamar As Plantinhas da Mamãe ou As Cadeirinhas da Vovó – o grupo ensaiava na casa da avó do baixista Bi Ribeiro. Foi ele que teve a idéia de mudar para Paralamas, que todos acharam curioso e ridículo o suficiente.

Capital Inicial
O nome da banda de Brasília não tem nada a ver com a capital federal. É que, como os músicos do grupo cantavam em festas e baladas só de brincadeira, não tinham dinheiro pra começar uma carreira profissional. Ou seja, faltava o "capital inicial".

Biquíni Cavadão
Quando tocavam músicas de Kid Abelha e Paralamas do Sucesso, o grupo de estudantes adolescentes recebeu uma visita do ilustre Herbert Vianna, que comentou: "Se eu tivesse essa idade, só pensaria em mulher, carros e biquíni cavadão". Daí pegou.